No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.

Hoje é 19 de Novembro de 2011, dia em que comemoramos o aniversário de um golo muito especial: o milésimo apontado por Pelé (link). Nesse dia, perante 65 000 pessoas, Pelé completaria uma volta ao mítico estádio. O «post» não versará no entanto sobre Pelé. Antes, sobre o clube frente ao qual apontou o golo.

Nesta vida serei sempre apaixonado pelo Sporting Clube de Portugal, incondicionalismo que não me impede de sentir afecto por outras instituições: emblemas como o CF os Belenenses do qual o meu pai é adepto, o Newcastle United do qual sou sócio, ou o clube a Norte do Reno, Westphalia, casa do BVB Borussia de Dormund. São emblemas dos quais, por variados motivos, gosto muito, e o Club Regatas Vasco da Gama faz parte desse universo. Um dos melhores e mais importantes clubes no Brasil. Outros há, no Brasil, mais titulados, outros há, como o Flamengo, que reúnem mais adeptos [quiçá a instituição com mais adeptos no mundo]. O Vasco da Gama não é o mais titulado nem o que tem mais adeptos. O meu afecto pelo Vasco não se relaciona com Portugal. Não surge pela sua bandeira ostentar uma caravela, nem uma cruz, e também não é por levar um histórico descobridor Português no nome. Esse afecto relaciona-se todavia com o Sporting Clube de Portugal, já que as histórias de ambos se cruzam de forma brilhante.

O Sporting foi o 1º clube Português a atravessar o Atlântico. Entre os propósitos da viagem, em 1913, fez parte a participação na inauguração do Campo do Botafogo, tal como o Vasco, um clube da cidade do Rio de Janeiro. Este campo na imagem:

[Adição: este parágrafo merecerá correcção porque não se tratou do Sporting CP mas da AFL (equipa de futebol), onde alinhavam os irmãos Stromp, fundadores do Sporting, faltando ainda confirmar ter-se tratado (ou não) do Campo do Botafogo]
«O mais bonito do Brasil», assim chamado.

E esta ida [do Sporting CP] da AFL ao Brasil, inspirou por sua vez a criação de outros clubes quase inteiramente fundados por Portugueses. Clubes como o Lusitânia FC. O Vasco já existia mas não praticava futebol. Começou a praticá-lo em 1915, fundindo-se justamente com o Lusitânia FC. Tratavam-se de emblemas distantes já que o Lusitânia só admitia Portugueses na suas equipa. O Vasco fora fundado sob o lema de «unir irmãos de diferentes raças». É esta a importância que assinalo neste «post»: factualmente, o Vasco foi o primeiro clube no Brasil a admitir jogadores de cor nas suas equipas, singularidade que me faz olhá-lo como um dos mais importantes grandes clubes não do Brasil mas do mundo, embora o rastilho não tivesse sido este (mais adiante perceberão porquê). Como disse, o Vasco fundiu-se com o Lusitânia em 1915, começando então a praticar futebol. Por entre muitas reformulações do desporto no Brasil, teve a sua estreia no campeonato principal do Rio em 1923, vencendo-o de modo brilhante.

1923, estreia e conquista do principal campeonato do Rio, com a particularidade de ter sido o único participante com jogadores não-brancos na sua equipa, algo que aliado à conquista em ano de estreia, provocou generalizado ultraje (outros tempos). Então, os principais clubes do Rio de Janeiro como o Botafogo, Flamengo, e outros, minados pela derrota aos pés duma equipa onde alinhavam jogadores de cor, abandonaram a competição no ano seguinte (1924), originando uma nova sem o Vasco. Para dela fazer parte, teria o CR Vasco de satisfazer uma exigência da (nova) Associação:

dispensar todos os seus atletas de cor - 12, ao todo.
O pretexto? «Profissão duvidosa»

Estamos em 1924 e o recente-campeão, confrontado por esta delicada situação, respondeu à nova Associação por meio do seu presidente, uma que é ou ficou conhecida por 'Resposta Histórica'.

Enviou, por carta, o presidente do Vasco: estamos certos de que Vossa Excelência será o primeiro a reconhecer que seria um acto pouco digno de nossa parte sacrificar, ao desejo de filiar-se à AMEA, alguns dos que lutaram para que tivéssemos, entre outras vitórias, a do Campeonato de Futebol da Cidade do Rio de Janeiro de 1923 (...) Nestes termos, sentimos ter de comunicar a Vossa Excelência que desistimos de fazer parte da AMEA.

10 de junho de 1956, Lisboa, o Sporting Clube de Portugal inaugura o estádio José Alvalade, convidando até si um emblema brasileiro que ficou para sempre associado à inauguração do estádio baptizado com o nome do fundador. Esse clube foi, como não poderia deixar de ser, o Club Regatas Vasco da Gama. Perdemos por 2-3 mas pouco interesse tem o resultado. No museu 'mundo Sporting' está exibida, entre outras, uma bonita mensagem daquele que é presidente dos Viscaínos hoje: histórico futebolista do clube, Roberto Dinamite. Diz a bonita mensagem: a família do Clube de Regatas Vasco da Gama deseja muitas vitórias para o Sporting. Do Brasil para o Mundo, parabéns Sporting Clube de Portugal. Roberto Dinamite, Presidente do CR Vasco da Gama

O «post» não termina aqui. A importância do CR Vasco assume outra dimensão já que da mesma forma que inaugurou o estádio José Alvalade em Lisboa, inaugurou também o meu estádio José Alvalade. Não recordo o ano (talvez o Pedro possa ajudar), nem que idade tinha. Recordo que era pequeno e recordo os irmãos da minha mãe, naqueles dias em Lisboa a partir de Macau, pegarem em mim e no meu irmão para assistir a um jogo de futebol. Um particular Sporting Clube de Portugal VS CR Vasco da Gama no estádio José Alvalade, primeiríssimo jogo que vi a partir das suas bancadas. Não recordo se o Sporting ganhou ou perdeu. Recordo que jamais esquecerei o dia.

Reformulo por isso o início da mensagem: passam hoje, 19 de Novembro de 2011, 42 anos sobre o milésimo golo de Pelé na sua carreira de futebolista, golo apontado no Maracanã a um dos mais importantes e históricos clubes do Brasil. Um clube de nome Português, fundado por remadores Portugueses, cuja bandeira exibe uma caravela e cruz Portuguesas. Um clube próximo de Portugal, porque historicamente, sempre próximo da sua maior instituição, o Sporting Clube de Portugal.

CR Vasco da Gama, do relvado para o mundo, «unir irmãos de diferentes raças»

Posted on

Saturday, 19 November 2011

2 Comments
  1. Muito bonito, excelente "post", misto de factos e de sentimentos, como se a objectividade e a subjectividade se unissem num longo e apaixonado beijo.
    No momento em que escrevo o «Vascão» está em primeiro no «Brasileirão» mas o «Timão» de Liedson mais logo pode assumir a liderança.
    Não tenho sentimento de pertença, nem de identificação com nenhum clube brasileiro, fiquei feliz o ano passado com o facto do português Deco ter sido campeão, ficaria, ainda, mais feliz este ano se o nosso «levezinho» o fosse, também.
    (por razões afectivas sinto um carinho especial pelo «Barcelusa» um "clube português" que pratica o futebol encantador do Barcelona)

    ReplyDelete
  2. Querido MM,

    17 de Agosto de 1989.
    Este teu amigo tinha 20 anos, acabara de cumprir o seu (o meu) dever de mancebo para com a república portuguesa.
    Quase 18 meses de "estupidificação".
    Ensinaram-me a pegar numa G3 e a derrubar os aviões do Pacto de Varsóvia, afinal seria o muro de Berlim a ser derrubado...
    Enfim, MM, o muro de Berlim caiu, mas há NN's que adoram construir gaiolas, muros, separar... o que deveria estar unido.

    ReplyDelete

Search This Blog