No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
O melhor do clube são as pessoas, mas não são quaisquer pessoas. Foram os nossos fundadores, atletas e treinadores. É a nossa história. O clube não és tu, não sou eu, nem «somos nós». São eles. As mensagens que publicarmos evidenciarão esse intuito, versando sobre a instituição, a sua notável história, acumulado de feitos presentes e passados, proeminentes homens que a serviram e ergueram, cumprimentando as suas memórias mas mais importante, preservando a sua autoridade, ainda que não vivam entre nós.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas.


Autor: Pedro Oliveira


O vídeo é longo (cerca de dezoito minutos) mas imprescindível para aqueles que acham que o futebol é mais que dar pontapés num pedaço de couro.
Pep e Fernando dispensam apresentações, o segundo um dos melhores cineastas espanhóis (ganhou um óscar, salvo erro, em 1992 ou 1993) o primeiro, bem o primeiro, é um filósofo do futebol.

É um prazer ouvi-los falar, pausadamente, entusiasmados, sobre futebol, sobre cinema, sobre a vida. Cerca do minuto doze, Guardiola tem uma reflexão sobre o desporto e a forma como o desporto o educou, aceitar a derrota, perceber que há outros melhores, mas esforçar-se, trabalhar sempre, para que na próxima as coisas saiam melhor...

Vejamos e oiçamos, então (link).

O desporto educou-me

Posted on

Monday, 10 October 2011

1 Comment
  1. Excelente debate. O Trueba é uma pessoa interessante, embora não goste especialmente do cinema que faz. Como conversador, revela-se bom de ouvir: não diz coisas extraordinárias, diz verdades simples, que são as mais extraordinárias que se podem ouvir.

    O Guardiola é um homem inteligente, disso não restam dúvidas. Mas confesso-me desiludido. Não conseguiu sair da sua zona de conforto, quase como se não pensasse para além do ofício. Foi uma impressão, talvez.

    No entanto, excelente conversa. Seria possível fazer uma coisa destas em Portugal? Sim, mas não seria fácil.

    ReplyDelete

Search This Blog