“A substância fundamental do progresso desportivo do Sporting é um fogo clubista que incessantemente se acende. É o suporte de vida do espírito leonino; é uma matéria viva ...”


No que ao Sporting respeita: Inaugurado em Março de 2011, encerrado em Maio de 2014, reaberto sob o mesmo nome mas diferente endereço em Agosto de 2016, é este um pequeno e doméstico espaço onde se olha o passado, o presente e o futuro da maior potência desportiva Nacional.
Ademais: Este é um blogue pessoal no qual se vêem analisados outros temas, bem como um depósito para comentários sobre diversos tópicos que vou deixando um pouco por toda a parte.
Para deixar um comentário: Clica no título do respectivo 'post' (à direita do texto). Alternativamente, usa a tua conta do FB. Regras superficiais de utilização: Emprega bom-senso.

E assim fiz.

Vitor Damas (08/10/1947 - 13/09/2003)

Goleiro entrou para a História em partida da Copa UEFA
15 de Maio, 2009, jornal "O Estado de São Paulo"

Em 1971, Vitor Damas pegou 4 penalties - goleiro do Sporting entrou para a História. Portugal também tem uma página nesse capítulo do futebol que encanta as torcidas. Foi em Lisboa, no Estádio José Alvalade, noite fria de 03 de Setembro de 1971, em eliminatória de uma Copa UEFA entre o Sporting e o Glasgow, um time da Escócia. No gol, "A Lenda", como era conhecido o galã do futebol Português, Vitor Damas (1947-2003), um "guarda-redes fenomenal". Na disputa final, depois do empate de resultados na Escócia e em Portugal, Vitor Damas, um goleiro de agilidade e reflexos fantásticos, defendeu nada menos do que 4 penalties - um deles batido 2 vezes. O goleiro Português que abandonou o futebol em 1988, era um especialista em voos acrobáticos e dono de uma audácia incomum. -- Rui Nogueira, Brasília
......................................................
Com Manuel Fernandes, os últimos grandes símbolos do futebol do Sporting.

Tinha decidido que ia viver para sempre. E assim fiz.

Posted on

Tuesday, 13 September 2011

3 Comments
  1. «Por proposta da Junta de Freguesia de Carcavelos foram atribuídos a ruas da Freguesia nomes de grandes glórias do desporto nacional.
    Rosa Mota, Carlos Lopes, Eusébio Ferreira e Vítor Damas passam assim a figurar na toponímia da Freguesia, o que muito nos honra pelo exemplo de uma vida dedicada ao desporto.
    A homenagem de Vítor Damas reveste-se de um significado especial para Carcavelos. Nome incontornável do futebol nacional, esteve ligado à promoção da modalidade no Grupo Sportivo de Carcavelos até ao seu recente falecimento.
    Nas cerimónias do descerramento das placas toponímicas estiveram presentes a família de Vítor Damas, Carlos Lopes e Rosa Mota.»
    in: http://www.jf-carcavelos.pt/boletins/bol22/page04.htm

    O caso de Carcavelos não é único na atribuição do nome Vítor Damas, perpetuando-o toponomicamente.
    Numa urbanização nova (julgo que no concelho de Oeiras) a Rua Vítor Damas encontra-se (são perpendiculares)com a Rua Eusébio da Silva Ferreira (ex. jogador do Sporting de Lourenço Marques).
    Uma solução feliz, um dos melhores avançados e um dos melhores guarda-redes portugueses de todos os tempos, eternamente, juntos na esquina do tempo, na esquina da vida.

    Hoje é dia de recordarmos o grande jogador, o grande homem e o grande capitão (era guarda-redes e capitão de equipa, percebem onde quero chegar?) que foi, sê-lo-á, eternamente, como diz e bem, MM, é dia de recordarmos, dizia e homenagearmos um dos melhores guarda-redes de sempre do nosso imenso Sporting.

    ReplyDelete
  2. MM,
    Para mim, que nunca tive o privilégio de ver jogar nem o Carlos Gomes, nem o Carvalho, Damas foi, é e sempre será o N.º 1 do "meu" Sporting.

    Pedro Oliveira,
    Na minha opinião de adepto do desporto em geral e do futebol em particular é justíssimo que se dê a desportistas de excepção um destaque e reconhecimento público semelhante ao que damos a interpretes de outras artes. O enlevo espiritual gerado no espectador por jogadas ou provas de excepção só é equiparável à contemplação de certas obras de arte, sendo certo que a sensação é, em regra e ao contrário de um livro, um quadro ou uma escultura, irrepetível.

    Um Abraço de Leão

    ReplyDelete
  3. 10A,

    Muito boa a comparação entre o futebol e a arte.
    Julgo compreender o que queres dizer com a irrepetibilidade sensorial, uma jogada de Messi é única e irrepetível,a maneira como decide,define perante Helton, na final da super taça europeia, só nos espanta, só nos surpreende,da primeira vez,mas se virmos dez vezes o lance achamo-lo (eu pelo menos) sempre belo.
    Vou contar um caso pessoal,o primeiro jogo que vi ao vivo do nosso Sporting, foi o célebre 7-1, ainda hoje passados mais de 20 anos (bolas, estou mesmo velho, eh, eh, eh) quando revejo aqueles lances na minha velhinha cassete de VHS ou no Youtube,é como se estivesse lá, novamente... como se me ouvisse novamente a gritar, Manel, Manel, Manel, Manel, Spooooorting!

    ReplyDelete

Search This Blog