Ya, Dabao, dá buu ou a verdadeira história do chinês

Thursday, 7 July 2011 · Posted in

Autor: Pedro Oliveira




Perguntar-me-ão:

É pá, com tanta coisa interessante para falar sobre o nosso Sporting, porque está o Pedro a falar dum lampião com estas características?

Completam-se hoje, precisamente, quatro anos que o pasquim da Travessa da Queimada exibia a linda capa que podemos apreciar ali em cima. 2007.07.07, o "A Bola" escolhia esta data, impregnada de simbolismo, para vender um sonho cor-de-rosa (como as camisolas), vão vir charters carregadinhos de chineses para verem jogar Yu Dabao, não dizia, exactamente, assim, comunicava-o por outras palavras: O ponta-de-lança chinês já tinha mostrado bons pormenores (...) mas o melhor estava guardado para a peladinha final: quatro golos com o seu cunho (...) parece cada vez mais evidente que merece um lugar entre os principais [p.4].

Convoco Yu Dabao para este post para criticar o jornalismo desportivo que temos.

Era evidente para qualquer gajo que percebesse o mínimo de futebol que Yu pode ter muitas qualidades como pessoa, pode ser um bom filho e um excelente pai; como jogador de futebol, enfim. No entanto, o "A Bola", acarinhou-o, pô-lo a brincar e a cabecear o logotipo, enfim, um jogador que era patrocinado por um jornal mas que se revelou trash, talvez.

Servem as palavras anteriores como aviso para as excessivas euforias, nem sempre os senhores que os jornais estampam nas capas são jogadores, às vezes são, apenas, senhores... que se estampam.

One Response to “Ya, Dabao, dá buu ou a verdadeira história do chinês”

  1. Tal e qual como o excelentíssimo anónimo. Só torço para que o frangueiro mor continue à frente da capoeira. SL

    ReplyDelete

Powered by Blogger.